domingo, 10 de dezembro de 2017

Registrando, Agrária Maltaria


A Agrária é a maior maltaria da América Latina com produção anual de 350 mil toneladas, está localizada no distrito de Entre Rios em Guarapuava (PR), atende cerca de 25% do mercado nacional, é a 11° maior maltaria comercial do planeta. A Cooperativa Agrária foi fundada em 1951 pelos Suábios do Danúbio, povo que teve sua origem onde hoje é a Alemanha. Após a segunda Guerra Mundial se encontravam na Áustria como refugiados, com a ajuda do governo Suíço vieram para o Brasil com o objetivo de criar uma cooperativa agrícola, 500 famílias em um total de 2.446 pessoas. Saíram da Áustria rumo a Gênova na Itália e embarcaram em um navio para o Brasil.
A Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária faz diversos estudos um deles é em relação ao fungo Fusarium Graminearum, contamina a cevada, interfere na formação de espuma na cerveja e é cancerígeno, estão desenvolvendo espécies resistentes a esse fungo.




Saída de Gênova em direção ao Brasil, museu histórico de Entre Rios


Interior da residência dos Suábios do Danúbio no Brasil, museu histórico de Entre Rios


Registros fotográficos da vinda para o Brasil, museu histórico de Entre Rios








Residência dos Suábios do Danúbio no Brasil, museu histórico de Entre Rios



Seleção e cruzamento de novas cultivares




Fazenda experimental, Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária



Cevada


Trigo


Triticale, hibridação de duas espécies, o trigo e o centeio


Centeio


Aveia


Trigo mourisco ou sarraceno


Linhaça


Pesquisa em cevada resistente ao fungo Fusarium Graminearum


Maltaria Agrária







Cereal Malteado, é possível maltear o trigo, cevada, triticale, centeio, aveia e o trigo sarraceno




Processo de malteação


Cervejaria Experimental










33 estilos já produzidos na Cervejaria Experimental


10 mil litros de cerveja produzidos em 2016




Laboratório, análise de água


Análise de malte,69 mil análises laboratoriais anualmente


Cervejaria Donau Bier localizada no distrito de Entre Rios






Trigo e cevada













Fotos: Cavic

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Cachaça Branca do Peroca

O documentário Dias de Infância, Memória da Fazenda do Fundão (Paraty-RJ) retrata um momento da vida de Maria Thereza Corrêa Ermlich que nasceu em 1937 na Fazenda do Fundão em Paraty. O documentário tem como referência o livro “Histórias Frutíferas” da própria Maria Thereza, onde escreve suas memórias sobre as frutas que marcaram sua infância na fazenda. Outro destaque é a Cachaça feita na fazenda onde seu pai Pedro Peroca produziu uma das mais veneradas bebidas da região tendo fama internacional, a cachaça Branca do Peroca. Também é relatado o processo de destilação da cachaça com as folhas da tangerina sendo criação do próprio Pedro Peroca, as folhas de tangerina tem como característica deixar a cachaça com uma coloração azulada e com aroma remetendo a fruta. 
O documentário tem o roteiro e direção de Tati Bech.




Rótulo da cachaça de Pedro Peroca




sexta-feira, 13 de outubro de 2017

6° Cacharitiba



Nos dias 5 a 8 de outubro aconteceu a Cacharitiba no Mercado Municipal de Curitiba. O evento é organizado pela cachaçaria Vô Milano, acontece anualmente com vários produtores de diversas regiões do Brasil, como de São Sebastião em Alagoas com a cachaça Gogó da Ema. A grande novidade foi a presença da carreta Alambique Escola, o veículo é equipado com um alambique todo estruturado para produzir cachaça. O professor Agenor Maccari que é referência em pesquisa e produção de cachaça no Paraná apresentou uma palestra sobre a produção esclarecendo cada etapa do processo: cultivo da cana, moagem, fermentação, destilação, armazenamento e envelhecimento.








Processo de produção da Cachaça

*Decantação
As impurezas do caldo são fontes de infecções na fermentação, provocando o desenvolvimento de microorganismos indesejáveis. O bagacilho também prejudica a fermentação, favorecendo as contaminações. Além disso, quando arrastado para o alambique, provoca a formação indesejável de furfural e metanol.

Diluição
A fermentação ideal ocorre com o caldo da cana numa concentração de açúcares em torno de 15° brix. Normalmente, o caldo apresenta uma concentração de açúcares de 14° a 22° brix. Acima de 15° brix, é necessário diluir o caldo de cana, para garantir a estabilidade do fermento ao longo de todo o período de fabricação.

Temperatura de Fermentação
A temperatura ideal  para a fermentação situa-se entre 28° e 30°C. Temperaturas mais baixas diminuem a atividade do fermento, enquanto as mais elevadas favorecem o desenvolvimento de bactérias indesejáveis, provocando o enfraquecimento das leveduras.

Fermento
No processo de fabricação de cachaça artesanal, os produtores utilizam leveduras “selvagem”, ou seja, que já se encontram na superfície dos colmos da cana-de-açúcar. Esse tipo de fermento é chamado de “natural”. As espécies de leveduras presentes variam de região para região, sendo afetadas principalmente pela variedades de cana utilizadas, pelas condições climáticas da região e pelas peculiaridades operacionais de cada produtor.

Destilação
Os destilados de cabeça e de cauda são os principais responsáveis pela “ressaca” e dor de cabeça, devendo ser eliminados. Sua presença na cachaça caracteriza, portanto, um produto de qualidade inferior.

Envelhecimento
O efeito da madeira na qualidade da cachaça envelhecida tem como base a sua composição química, de celulose, hemicelulose, lignina e óleos essenciais. Durante o envelhecimento, além das reações de oxidação, a madeira transfere para a aguardente elementos de características específicas, provenientes da lignina e dos óleos essenciais, que influenciam na cor, aroma e paladar da bebida.

*O texto é referente ao livro Fabricação Artesanal da Cachaça Mineira de José Carlos G M Ribeiro.







Carreta alambique escola




















Fotos:Cavic